Follow by Email

D'elícia

Por tuas costas meus braços se enlaçam
E as noites se alongam, esperam o dia nascer
Se me enrosco no teu pescoço
E tuas pernas se cruzam nas minhas
Já não tenho limites
Me entrego ao teu querer
Me apertas
Campari
Mordidas
Lambidas
Em chamas
Excitas
A alma levita
Me perco
Tu me encontras
Smirnoff Ice
Enlace
De sorrisos
Transborda
Cumplicidade


Ana Martins

10 comentários:

  1. Eu nem vou comentar só passei por aqui!Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Então tá! (risos)
    Obrigada pela visita! beijos

    ResponderExcluir
  3. Você conseguiu um grande exito com seu poema, que foi o de transformar em arte, o que muitos encaram como pornografia.
    O jogo de palavras que "brinca" com o espaço do corpo e o espaço temporal, possui grande poder poético, os últimos versos, espécies de metonímias, em poucas palavras dizem muito.
    www.neuroticoautonomo.zip.net

    ResponderExcluir
  4. Oi Fernando, bem vindo!!
    Obrigada por suas palavras, fico feliz por vc ter gostado! :-)

    ResponderExcluir
  5. O corpo... e a alma.
    O corpo vive, brilha, delicia-se com o prazer.
    A alma... essa sonha.
    E como diz o poeta, o sonho comanda a vida.

    E quando os dois se juntam, corpo e alma...

    Tudo de bom para ti.
    Rolando

    ResponderExcluir
  6. Rolando, tem razão, aí é demais! Tenho um texto que fala sobre isso... "Evolução Sexual"
    Obrigada pela visita e pelo comentário! Seja bem vindo!!!

    ResponderExcluir
  7. D'emais sim!!!
    MAis, mAis, mAis!!! rsrs

    ResponderExcluir