Follow by Email

PRECONCEITO



Definitivamente qualquer tipo de preconceito é a maior perda de tempo!
Me diga o que é que o preconceito acrescenta na vida?
Obviamente todos nós carregamos algum. Diga que não e estará mentindo. Faz parte da natureza.
Alimentá-los é doentio. Tolerá-los é conter o ódio dentro de si.
Respeitar diferenças é viver o amor. A paz.
Nada mais superior que o amor. Alguém duvida?
Qualquer coisa contrária a ele e já vive-se em guerra.
E o pior é que a guerra está dentro de si mesmo.
Atacar algo ou alguém é atacar a si mesmo.

Ana Martins


Meu Cachorro, Minha Vida...



Peguei a caminha do Kin e a cheirei para trazê-lo para perto de mim e seu cheirinho estava todo lá.

Afrouxei minha dor num choro compulsivo, longo e alto, desenfreado. Tal como um uivo, cantando toda minha tristeza.

Ana Martins


Para Sempre, Kin!



Enfim, a partida. Ao longo deste seu último ano de vida - muito difícil e cruel, pude me preparar para a chegada deste momento.
Será que eu estava mesmo preparada? Sim e não. Sim pela própria condição deste meu muito amado e desejado cão.
E não porque desde muito pequena sonhei imensamente por sua chegada.

Quando meu pai partiu num acidente de carro, mamãe se viu perdida e sofrida por, de uma vez, perder pai e marido, além de ver sua mãe toda quebrada e amarga pela partida de seu amor, o pai de mamãe.
Nosso grande e inestimável apoio veio de minha bisavó, Joaquina. A vovó Quina. Ela foi nosso chão e apoio, fundamental, completo de amor e firmeza. Sem ela, tudo teria sido muito pior.
Digo-lhes isso pela importância e ligação com toda a história do Kin em minha vida.

Ele chegou para mim num momento muito difícil, quando, na minha jornada, precisava crescer e caminhar com minhas pernas, sem depender de ninguém, e amadurecer.

Era dia 16 de Dezembro de 1999. Vovó Quina faria 97 anos neste dia, se estivesse viva. Saí do meu trabalho para almoçar decidida e me dar um presente que me ligasse de alguma forma à minha amada bisavó. Pensei primeiramente em um vasinho de margaridas, já que ela amava tanto essas flores. Mas procurei e não encontrei. No meu caminho, encontrei o Kin. Bati meus olhos nele e tive a certeza que era ele! Sim, era ele quem iria me ajudar a processar toda aquela minha jornada, que estava só começando.

Fiz um pacto com ele: Jamais nos separarmos, até ele ficar muito, muito velhinho, até não poder mais. E assim ele fez.

Eu não poderia pedir que ele suportasse mais tanta dor, muito além do imaginado e constatado.

Meu companheiro - amado e imortal em meu coração e na vida de muitos que o amaram imensamente, e o receberam de braços abertos, formando um lindo laço de amor - partiu, livre e suavemente. E levou um beijo meu para vovó Quina.


Fica aqui meu imenso obrigado a todos que me ouviram e me apoiaram com atenção, carinho e amor.


Um agradecimento especial a todos da Animália Clínica Veterinária e Pet Shop que cuidaram e zelaram pelo Kin.




Ana Martins


My Dog At The Pool




Immediately after the experience he jumped like a goat!!! :-) 


Ana Martins

Lessfret


"Lessfret"
(Daniel Figueiredo)


"Sonata para contrabaixo elétrico sem frete, ovinho e pandeirola com baqueta - Numero 1 - Opus 1 - Pimeiro movimento" rsrs, com a participação super especial do Kin como "Diretor de clima", hahaha

* After we upload the video we NOTE one ANT down on the right side, at :1:47... LOL
* Notem a formiga que aparece em 1:47, e o Kin tentando comê-la um pouco antes, só vimos depois que subimos o vídeo rsrs

:-)



Ana Martins


Amy Winehouse



Por trás de uma escolha, existe um Ser.
Uma dor ou uma alegria também.

Há centenas de motivos que conduzem a uma ação.
Consciente ou não.
Discernimento é bom, mas não é tudo.
Talento também.
Força, foco e concentração ajudam muito.

Infelizmente, a vida de algumas pessoas toma um rumo
tão desproporcional à sua natureza humana,
que fica praticamente impossível evitar o erro. #RIPAmy



Ana Martins

DOCE DEVASSA - Conga Conga Conga





Conga, Conga, Conga... ah.....

I like dancing everyday
You and Me
All the time
Conga quiero bailar

Come, come and dance
Dance with me
I get you, I want you
Oh, my love, I love you, I need you
Ah conga, Oh Yeah

Conga, conga, conga
Conga, conga, conga
Ai, ai, ai, ai

Me gusta, baila comigo
Conga la conga, me gusta
Conga

(Mr. Sam) por Marília Bessy - álbum Doce Devassa


ÉLÉGANCE

Dos movimentos suaves,
O sorriso confiante.

Um profundo silêncio
Marca linear do sofisticado.
Resposta do Tempo
Deslumbra o horizonte.

Passam as horas
Passam as intempéries
Passam "les vers"
Aussi l'envie
Pas épuisé a força
Da elegância,
Inépuisable.

Ana Martins

RIVOTRIL, ANSIEDADE, OLCADIL?


Passos em descompasso
Rapidez incontrolada
Martelo na cabeça
Fixo é o monstro do sistema
Uma tonteira, o vem-e-vai
Equação nada exata
Certo é o medo que entretém?
O formigueiro não passa.

Rivotril em tremedeira
Enxaqueca, taquicardia
Convulsão no sistema nervoso
Desorienta a emoção.
Olcadil no fundo do pânico
Dança a valsa preta
Que murmura pela paz

Passa o sono
Passa na praia
Aquieta a alma
A ataxia
Placebo na vida?
Não interessa!
Dependência que alucina?
Ter felicidade é que é festa.
Viva a sua, que a vida é o que interessa.

Mas não tome remédios sem orientação médica.
Tarja preta não é brinquedo, visite seu médico com regularidade.

Ana Martins





O MENDIGO E O VIOLÃO


Quase todos os dias vou ao supermercado fazer umas comprinhas. Compro sempre muitos supérfluos.

Quinta-feira passada, ao deixar o estacionamento com minhas compras, notei um mendigo cabisbaixo. E ao lado dele, um violão.

Não consegui seguir sem antes voltar atrás para olhá-lo novamente.
Ele levantou a cabeça e me fitou com um olhar distante. Nem sofrido, nem alegre.
Não hesitei ao perguntar se estava tudo bem com ele.
A resposta? -"tudo bem".
O rosto dele mostrou-se mais sereno.
Perguntei sobre o violão ao seu lado, e ele me disse que era tudo o que tinha.
Mas continuei: -"tem história também para contar, não tem?"
Ele não entendeu bem minha pergunta, mas depois disse-me que sim.
Foi quando pedi para ele me contar uma história.
Ele perguntou: -"do violão?"
Falei: -"Claro, pode ser!"
Então ele me contou que antes ele tinha uma casinha e sua esposa.
Não disse onde, nem como era a casa. Mas disse-me que um dia, após uma forte tempestade,
ao chegar onde morava, não encontrou mais a casa de pé. E sua mulher tinha-se ido também em meio aos escombros.
A única coisa que ele conseguiu recuperar foi seu violão.
Desde então, o que ele mais gosta de tocar são as músicas que sua mulher gostava de ouvir
quando ainda estava ao seu lado.

Encontrei serenidade em quem (quase) não tem nada.

Ana Martins

An Exciting Experience


The music was playing on the radio. A few magazines were around me. That tedious morning was my only company. No amusement, no problem in my life, just my loneliness.

I heard a voice. Yes, the radio announcer was saying something about a caravan of people who enjoy being present at the recording of the last chapter of a soap-opera... 'what?! The soap-opera called "Que Rei Sou Eu?" - where?! how?!'
In a minute I was ready to go over there.

When I reached that place, all I could do was stand in a long line, sign my name three times in a paper and wait a few minutes until I got on a bus parked over the street. I coudn't understand anything... where was I going to? And to do what??
Well, at least I might have fun then.

The bus took all that people and me to a large place. Perhaps it was a forest, I'd say.

Quickly, people who were working on the production of that event arranged all of us in a few lines. This time to choose some clothes to - please, guess if you're able to - dress like a plebeian!!
A long skirt with some cloths around the waist, a blouse showing the shoulders and a little ribbon on the hair... Right! That was how I was dressed.

Next, we went to another place beside the other one that we were first. It was when I saw a castle... The castle of my fantasies! I had never seen one like that before. Big, high and medieval... with a lake around it and a strong and large bridge in front.
Many old medieval houses spread near the castle too. On the ground, little stones covered the streets and old and tall trees decorated the place.
At the centre of the village, a guillotine stood out at the top of the stairs, looking like a small square. In short, a marvelous scenario; the city of Avilan!!

1.500 people dressed like plebeian waited anxiously for the moment of being in action. A magic atmosphere seemed to be present there. Suddenly, at the top of the castle, the actor Edson Celulari and the actress Guilia Gam showed up as the prince Jean Pierre and his girlfriend.
Many other stars were by the castle, too. Sumptuous dresses were shown by them all.
Ladies'umbrellas full of lace, funny wigs and wonderful hats. What more?
A smile on the lips of them all causing a sensation of being far from our world.

From about 1:20pm until the first minutes of the next day, I could say I felt the emotion of living the fantasy of being a few centuries ago around a castle and its kingdom.
One of my childhood dreams came true. It was really an exciting experience to me!


Ana Martins

VERBO do Coração

Amar é verbo transitivo direto.
Verbo é ação.
Logo, amar é ação direta.
Sem rodeios. Seu valor está presente nos gestos
que comprovam a importância do outro em nossas vidas.



Ana Martins

DESTINO


Os fatos da vida são muitas vezes surpreendentes, mesmo "sabendo" o que nos espera:

Gerar - Crescer - Nascer - Crescer - Amadurecer - Transformar...

Essa energia é cíclica... as coisas vem e vão por esse caminho, assim como nossas idéias e crenças.

É verdade que não sabemos bem o que está por vir e que gostamos de criar regras para viver melhor e discernir as coisas à nossa volta.

Mas, e se a regra é mesmo o caos, que faz com que o bem e o mal andem juntos?

Cabe a nós decidir como levar a vida, dando poder ou não a tudo o que nos acontece.
Acho que entender isso é primordial em nossa vida. Somos gerenciadores do nosso destino.

Podemos fazer escolhas, mas certas coisas não temos como controlar. Porém, é possível decidir o que faremos durante o percurso.

Veja um exemplo:

Minha amiga escolheu viajar para a Europa neste último mês de Abril. Entre vários destinos, um não foi possível realizar: A Inglaterra.
Aquele vulcão de nome difícil impossibilitou esse caminho.

Durante o percurso pela Europa, vários dias "parados", em espera, procurando resposta; uma saída.
Esse vulcão fez ela parar, reavaliar suas condições, procurar outro caminho.
No início ela teve raiva e chorou frustrada. Estava na Europa e não podia aproveitar como quis que o seu destino fosse.
Mas então o que fazer? Blasfemar ou contemplar o que há de melhor à nossa volta?
Não sei, cabe a nós decidir... mas que tal observar melhor cada rua, as pessoas locais, pesquisar, e "enxergar" de outra forma o que não queremos mais ver? Será que não deixamos passar algo valioso à nossa volta?

A vida é o destino mais valioso que temos. Precisamos extrair o melhor e o belo que, com certeza, há nela.

Ana Martins


COMPREENSÃO

Do conhecimento que tenho, sou mísera se ao usá-lo, não me coloco no lugar do outro.
De onde estou, há sempre muito mais a saber, conhecer, entender.
Nem mesmo a liberdade e conforto para expor minhas idéias, me dá o direito de manifestá-las sem delicadeza e cuidado com o próximo. Ainda que tenha a melhor das intenções.

Ana Martins

Nós

"Você e eu aqui, somos feitos de átomos, sentados nessa pedra redonda

com centro de ferro líquido, presa por uma força que causa tantos

problemas chamada gravidade, com todos os planetas girando ao redor

do Sol a 108.000 Km/h e viajando pela Via Láctea a 966.000Km/h

em um Universo que pode estar perseguindo seu próprio rabo

à velocidade luz.

Em meio a toda essa atividade frenética, estamos cientes de nosso próprio

e iminente fim, que é um modo bonito de dizer que todos sabemos que vamos

morrer e tentamos ajudar uns aos outros.

Às vezes por vaidade, às vezes por motivos que você ainda não tem idade

para entender, mas às vezes nos ajudamos sem esperar nada em troca.

Não é estranho?

Não é esquisito?

Não é esquisito o bastante?"


(The Martian Child Movie, 2007)

"Ana"

Música para ouvir com a alma...


video

"Se o vendaval crescer, lembras que estou aqui"...

"Ana"

Compositor : Humberto Amorim

Cantor : Allyson

Daniel Figueiredo: Produção Musical, arranjos todos os instrumentos, exceto:

Bateria: Thiago Feghali/Baixo Fretless : Scott Brown/Violinos: Vinicius Amaral

http://www.musicsolution.com.br/

D'elícia

Por tuas costas meus braços se enlaçam
E as noites se alongam, esperam o dia nascer
Se me enrosco no teu pescoço
E tuas pernas se cruzam nas minhas
Já não tenho limites
Me entrego ao teu querer
Me apertas
Campari
Mordidas
Lambidas
Em chamas
Excitas
A alma levita
Me perco
Tu me encontras
Smirnoff Ice
Enlace
De sorrisos
Transborda
Cumplicidade


Ana Martins

Beijos... beijos...... beijos.........

Beijos de estalinho
Beijos enluarados
Beijos ensandecidos
Beijos roubados

Beijos que te tomam o fôlego
Beijos açucarados
Beijos apimentados
Beijos mordazes
Beijos provocantes
Beijos suados

Beijos beijos beijos
Beijos espalhados
Beijos que te engolem
Beijos safados

Beijos suaves
Beijos marcados
Beijos de mil sabores
Beijos aveludados
Beijos pelo corpo
Beijos bem dados
Ana Martins

Preconceito

"Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo...'

(Fernando Pessoa)



As pedras sempre vem para todos...

A necessidade de organizarmos e processarmos idéias e conceitos
nos torna julgadores em tempo integral...

Não há como dizer que não temos preconceitos,
porque somos seres em evolução,
e ninguém evolui sem questionar e quebrar paradigmas...
Então ninguém está a salvo dessa dor chamada preconceito.
Todos temos e sofremos com ele.


Ana Martins

"Matéria" versus "Espírito"

O materialismo não tem prova científica.
Qual o trabalho científico que prova o materialismo? Alguém sabe?
Em qual laboratório isso ficou provado?

Nenhum trabalho científico conseguiu provar até agora que o materialismo é uma realidade existencial.
Não há provas científicas.
Quando o cientista coloca uma visão materialista, é a opinião pessoal dele e não a opinião da ciência.
Da mesma forma o médico.
Se o médico se diz materialista, é a opinião pessoal dele, e não a opinião da medicina.
A espiritualidade é um campo aberto à pesquisa científica e a ciência não fechou sua compreensão sobre esse assunto.
Existe dentro da medicina a consciência da espiritualidade e mediunidade, que em desequilíbrio causa doenças, apesar de uma grande maioria de médicos desconhecer ou ignorar o fato.
Essa relação existe e está no Código Internacional de Doenças.
Disponível para todos que quiserem conferir.

Esse Código reconhece o estado de transe e a possessão por espíritos como diagnóstico médico.
É doença o estado de transe fora do controle do indivíduo, mas não é doença quando o mesmo acontece num contexto cultural X religioso da pessoa.
Há recursos dentro da medicina oficial para saber se o paciente sofre de um mal psiquiátrico primário ou se a causa é o mal emprego da mediunidade.
Nascemos com o dom da mediunidade. Ela está presente na maior parte das pessoas em escala acentuada. Isso não é trabalhado na nossa sociedade e então a pessoa fica "explodindo".

Por isso muitos partem para as drogas e álcool.

Nascemos para transcender, e a mediunidade é essencial como a inteligência e a emoção.
Só é possível cumprirmos a bem-aventurança se tivermos o dom espiritual, ou seja, a mediunidade.
Precisamos desenvolver o caminho para a luz, para o bem.


Texto retirado dos estudos do Dr. Sérgio Felipe de Oliveira.
(Psiquiatra brasileiro, mestre em Ciências pela USP (Universidade de São Paulo) e destacado pesquisador na área da Psicobiofísica. A sua pesquisa reúne conceitos de Psicologia, de Física, de Biologia e do espiritismo).

BIPOLARIDADE EM POESIA

ISMÁLIA


Quando Ismália enlouqueceu,
Pôs-se na torre a sonhar...
Viu uma lua no céu,
Viu outra lua no mar.

No sonho em que se perdeu,
Banhou-se toda em luar...
Queria subir ao céu,
Queria descer ao mar...

E, no desvario seu,
Na torre pôs-se a cantar...
Estava perto do céu,
Estava longe do mar...

E como um anjo pendeu
As asas para voar...
Queria a lua do céu,
Queria a lua do mar...

As asas que Deus lhe deu
Ruflaram de par em par...
Sua alma subiu ao céu,
Seu corpo desceu ao mar...


Alphonsus de Guimaraens

O Sentido da Vida



Para você:
Qual o Verdadeiro Sentido da Vida?
******
Não sei ao certo qual seria,
mas creio que está nas coisas que fazemos com amor, por amor
Acho que a felicidade está na importância que damos às coisas e pessoas.
É tão bom quando reconhecemos um gesto, um amor sincero...
mas mesmo que não nos valorizem e não nos amem, sempre há quem se importe conosco.
SEMPRE.

Ainda que este alguém seja você mesmo.
Talvez este seja o melhor sentido para a minha existência...


Ana Martins

Guapo


Olhos sedentos
Perfume inebriante
Luz de tua alma
Aquece e conduz
Colados os corpos
Sou tua
Teu todo
Seduz


Ana Martins

OCO


E minhas mãos neste teclado

E os pensamentos voam longe


De uma memória esquecida


Por um momento outrora brilhante



Já não és o que vi


Nem estás mais aonde sou


Meu espaço preenche no tempo


Todo o vazio que restou



Ana Martins

IMPORTÂNCIA

Quando te encontrei
Eras meu espelho

Descobri minhas dores
E ao vento ficaram expostas

Tu no meu colo
Eras cura
E o fel
Da minha loucura

Rasguei meu orgulho
Esmigalhei minha razão
Despetalei meus medos
Ardi em febre
Torci meu fôlego
Desvirei os sentidos
para te doar
O farol
*
Morri mais
Que mil dias
E mil noites inteiras
Para segurar tua mão
*
Rocha fui
Quando me pedistes socorro
Mas derramastes
Meu sangue
E ultrajastes
Meu mel
Espalhando-os
Ao canto
Perto do ralo
Onde via-se
A sujeira
Que fizestes
Por negar-me
A paixão
Eu te amei
E me arrastei...
Nem sei mais até onde fui
Por este amor

Ana Martins

Ciclos


O tempo parou,
mas as horas insistiam em passar por ela.

A avenida estava interditada.
A solução era tomar o caminho mais longo para seu destino.
As luzes da cidade estavam todas apagadas.
Durante o dia, distraía-se com o vai-e-vem das pessoas.
De noite, encontrava-se com sua própria escuridão.

Em casa, não havia folhas de papel para escrever sobre seus dias.
Eles se tornaram vazios.
Descobriu-se atada na teia de seus pensamentos.
Tornou-se emaranhada por eles e a estagnação fez-se-lhe companhia.
Seus movimentos corporais cessaram-se
na impossibilidade de suas ações.
A força de suas emoções cresceu;
a invalidez dos seus desejos causaram-lhe dor.

Procurou gritar, mas sua voz calou-se
diante da ensurdecedora voz do seu coração.
Pôs-se a chorar. As lágrimas percorreram sua face,
e como soro, serviram-lhe de alimento.
Quando já havia se acostumado a elas, cessaram-se.
Esgotaram-se.

Nada a alimentava mais.
Então encontrou-se com a morte.

O medo pavorante de perder a vida, despertou-a novamente.
E o tempo voltou a andar.
As horas marcaram novamente seus passos.
A avenida desinterditou.
As luzes voltaram a se acender.
Comprou novas folhas de papel e reescreveu seus dias.
As teias foram retiradas de seus pensamentos.
Movimentos corporais reaqueceram-lhe o coração.
As emoções fluiram como novas e sua voz fez-se mansa.
A paz retornou a seu coração
e a própria vida reinventou-se.


Ana Martins

Jornada Emocional

Suas palavras não tem poder
A força está na sua vibração
O que você sente?
Se você se sente inseguro, você é inseguro
Se você se sente saudável, você é saudável
Se você se sente gordo, você é gordo
Se você se sente inteligente, você é inteligente
Se você se sente vulnerável, você é vulnerável
Em outras palavras, você se torna aquilo que sente ser...


Ana Martins

...

Doce ilusão
Te envolve, te seduz
Distorce o sentido
Melancólico, pede colo
Incapaz de um grito
Te fisga pela dor
Por amor (que tens)
Te convence da loucura
Do pânico, da fuga
Se te calas
faz-te presente
Com graça, bom humor
Despetala tuas fragilidades
Com desconsideração cruel
Pelo que de melhor fizestes
Seu nome?
Egoísmo


Ana Martins